Ronaldo

 

Nem tudo que reluz é ouro. (Mas reluz!)



Textos


Com o tempo...

Há tantos sonhos de voltas, levados nos bornais...
E de felicidades nos recém formados casais…
Vazios, ainda vazios, aos poucos preenchidos…
Há tantas esperanças nas soleiras dos portais,
Nas tácitas intenções dos melodiosos madrigais…
Começos e recomeços saborosos… coloridos.

Há tanta cumplicidade nos primórdios de tudo!
É tudo tão macio, aconchegante, pelúcias, veludo…
Há flores, amores sem dores, contagiantes delicadezas...
Há espontâneo prazer, de percalços desnudo,
E a vida prossegue, assim, como no jogo de ludo:
Diversão, azar e sorte, nesse mundo de pouquíssimas certezas

As tantas vidas pela frente refletirão as de outrora! 
Há tanta vida pela frente que depende do agora!
Há tanto o que arar, plantar, proteger, mimar, regar!
Há tantos reveses por esse mundo insano afora,
Desanimadores, tal e qual a caixa de Pandora.
Dos muros dos castelos não se pode descuidar!

Com o tempo, águas furam consistentes rochedos,
Com o tempo ficam castos os incontáveis segredos...
O tempo é do Espírito morada e da matéria ele é senhor.
Com o tempo a erosão é cinzel a moldar os penedos
Com o tempo extinguir-se-ão os inglórios arremedos
Tempo, tão paciente é o tempo, dos destinos o domador.

O tempo traz saudades, lembranças de outros idos,
O tempo já foi deidade e noutros mundos diluído , 
Assombra os mortais, por ser um mistério profundo, 
Tudo que nasce para sempre, no tempo fica retido, 
O tempo não se retém, o tempo é para ser vivido
O tempo sopra as Sementes, aos quatro cantos do mundo. 


 
Ronaldo Aparecido Silva
Enviado por Ronaldo Aparecido Silva em 13/02/2021


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras