Ronaldo

 

Nem tudo que reluz é ouro. (Mas reluz!)



Textos

 
    Alforje de Aeon.
 
     Não caia no engodo de querer matar o tempo, para fugir dos teus problemas, o tempo segue impávido e soberano, os amigos e amores não.
     O tempo perdido tens a chance de pegá-lo na próxima estação, já as pessoas vão-se dos convívios, apeiam dos vagões. O tempo que julgas ter matado, pode ter, nesse ínterim, engolido um ente teu, e não tiveste tempo para ele, enquanto que ele, talvez tenha rogado por um pouquinho de teus instantes...
     Mas, o ainda pior, nessa insensata, por ser desproporcional batalha, entre os seres humanos e o tempo, é que ao tentar matar o tempo e fugir das provações, ignora o homem dialogar, negociar com o “Senhor dos Instantes”, pois não se tocam que ele traz, seguros, em seu alforje, os pretensos alívios e soluções, ainda que tardia... mas em tempo.
     
Ronaldo Aparecido Silva
Enviado por Ronaldo Aparecido Silva em 11/11/2020


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras