Ronaldo

Nem tudo que reluz é ouro. (Mas reluz!)

Textos

Nas trilhas da Luz.

“João 14 -6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.”

   Há pouco estava eu no início daquela estrada. Só mirava o horizonte. Às vezes eu me atrevia adivinhar o que havia além do encontro de onde eu estava, com o firmamento. Ora era um horizonte escuro, ora era dourado pelo magnífico sol, jamais o mesmo horizonte . 
   Num determinado ponto da estrada, eu comecei a entender que tudo o que ocorre fora de mim é o mesmo que ocorre no meu interior, tudo se movimenta, tudo se transforma, tudo pulsa e carecemos dos mesmos princípios vitais. A inteligência nos difere das outras espécies, mas nos submetemos às mesmas normas e nossas súplicas convergem.
   Mais para o final da jornada, eu comecei a entender que carregamos em nós céus e infernos , que somos um campo de intermináveis batalhas e que somente o amor nos eleva aos nossos momentos de céu. 
   O inferno lida com os nossos instintos, esses mantém-nos vivos, porém trazem ainda sentimentos dementes, que vociferam e nos tornam o que somos: reles mortais.
   Depois passamos…
   No passamento não desvendamos o que há além do horizonte, pois em cada pedacinho da nossa estrada percorrido nós o vivíamos, era tão íntimo nosso! Horizontes que nos iludiam, mas nada mais eram que cada passo que dávamos, cada fração de tempo que vencíamos...
   O horizonte que não alcançamos é por pura incapacidade nossa ainda, eis que estamos em evolução e nos fortalecendo, portanto, a nos dignar da inabalável e suprema felicidade.
   Nosso passamento é a última fronteira, mas a peleja continua na Pátria Verdadeira, de onde, com um olhar mais espiritualizado positivamente, podemos perceber o quão infantis ainda somos, mesmo oriundos de tantas estradas! Basta nos revestirmos de matéria e retornamos, pelo justo esquecimento, aos primórdios de nova estrada, com os nossos horizontes chamados escolhas, nossas semeaduras, nossos faróis, nossos túneis, declives e estradas escorregadias, sempre a nos ensinar como vencer o próximo trecho.
   Muitas serão as viagens e muitos serão os entroncamentos, cruzamentos e bifurcações…
   Sigamos a Luz Verdadeira e sempre pronta a nos acolher, a Luz que nos inspira, a Luz que nos conforta e que, por fim, nos conduzirá à bem-aventurança, pois a Espíritos eternos, essa inapagável Luz, complacentemente, já nos elevou.
Ronaldo Aparecido Silva
Enviado por Ronaldo Aparecido Silva em 03/02/2018
Alterado em 03/02/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras