Ronaldo

Nem tudo que reluz é ouro. (Mas reluz!)

Textos

Aos traidores… os desequilíbrios!

Apenas meus traidores conheceram minha destemperança, 
Somente meus traidores tiraram-me as esperanças,
Apenas meus traidores conheceram esse meu lado escuro.
Nem as homéricas ressacas fizeram-me vomitar,
Nem meus inimigos conseguiram o meu desequilíbrio, 
Apenas os traidores…
Apenas os “traíras” e seus dentes de dilacerar.
Tubarões anfíbios, surpreendentes, 
De repente, simplesmente, traem, saltam do mar para a Terra,
Abocanham o coração desavisado
E se recolhem, covardemente, nos seus habitat inacessíveis.
O dom de trair é nato, talvez até missão, pois desdenham tanto!
Exaurem-se em expectativas de promoções, no egoísmo e no “zumbismo”.
E frases de espanto remetem ao nome Brutus,
A surpresa faz-se presente e a desconsideração impera.
Silvérios, Judas, Dalilas e os meus… 
Almas serpentes! Almas serpentes!
Com todo respeito aos venéficos répteis.




 
Ronaldo Aparecido Silva
Enviado por Ronaldo Aparecido Silva em 25/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras