Ronaldo

Nem tudo que reluz é ouro. (Mas reluz!)

Textos

Assumir-se.

Não queiras deitar entre plumas,
Não esperes acordar na maciez,
Não deixes por razão nenhuma, 
Quem por tanto sonhar te fez.

A tua fuga te leva aos braços da morte,
Os ninhos são feitos de duros gravetos,
Os caminhos são percorridos por sorte,
E o destino traçado pelos teus amuletos.

Quanto mais longe de teus reais desejos, 
Mais terás corroída a tua essencialidade,
Quanto mais te entregas a tão falsos beijos,
Mais te afastas de ti e de tua verdade...

“Os covardes morrem por mais de uma vez, 
Os bravos, com dignidade, morrem uma vez só.” 
(William Shakespeare)
Não estamos aqui para sermos a rês, 
Que a tudo abandona para um pastar melhor.

Esteja motivado a passar por tuas provações. 
(Tiago 1:2)
Tudo ser-te-á provas: escolhas, lutos e festas,
Mesmo o teu convincente rei montado nas razões 
Sentirá o insustentável e falso reino que lhe resta.

Da verdade não se foge entre cortinas de magia.
Verdade é a cartola donde almas pombas surgem.
As mágicas se fazem nos terrenos da ousadia,
A mágica mais linda é o amor de além nuvens.

O que se perpetua é a busca pela transcendência, 
Porém há coisas das quais os homens correm,
Paixões, dores, falsos amores,solidão, demência,
Mas pelo verdadeiro amor vivem, lutam e morrem 

Não há um véu de poder tamanho que cubra
O amor que de tão antigo pelas eras vagueia.
Não há feitiços, quebrantos ou até diabruras, 
Que delete o amor que o etéreo incendeia.

Não te curves ante o erro que te escraviza,
Nem te reduzas a um ser tão repugnante!
Sinta primeiro o que o teu coração precisa, 
Do amor verdadeiro ou de juras farsantes?

E se insistes em te manteres assim, 
Na dor solitária de incólume resistência, 
Será tão triste o aproximar do teu fim,
E irás lamentar tua infeliz existência... 








Ronaldo Aparecido Silva
Enviado por Ronaldo Aparecido Silva em 24/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras