Ronaldo

Nem tudo que reluz é ouro. (Mas reluz!)

Textos

Outono das flores.

Flores de plásticos não têm perfumes, são insensíveis, de nula essência, no entanto, dispensam serem regadas e jamais murcham. 
Eu a desenhei com os nanquins de meus desejos e a preenchi, pétalas, caules e até os espinhos, com cores vibrantes, passionais e portanto, inconsistentes, em telas ilusionadas, oníricas e temporãs. Por fim, um vento improvável, a colheu...
Ronaldo Aparecido Silva
Enviado por Ronaldo Aparecido Silva em 27/01/2018
Alterado em 27/01/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras