Ronaldo

Nem tudo que reluz é ouro. (Mas reluz!)

Textos

Cristais em containers.

Sonhos,
Onde e quando os amores são eternos,
Onde reinam os platônicos sentimentos,
Quando há sol e flores em pleno inverno,
Onde o amor se perpetua nos momentos.
De amores febris que beiram a paixão, 
De instantes quiméricos e indescritíveis, 
Quando a doce loucura supera a razão!
E tornam os ardentes desejos possíveis.


As ondas de amor vem de mares abertos,
Onde, no para sempre, a felicidade existe,
Onde tudo é envolto em sono desperto,
Onde o amor é rochedo que a tudo resiste.
São os sonhos as fiéis redomas da vida,
Tal qual o baú que torna o tesouro seguro,
A protege, a imuniza de quaisquer feridas 
E a torna viçosa, qual um fruto maduro.


Sonhos,
Onde os astros do amor são moradas,
Onde os beijos de saudades estalam, 
Onde bocas sedentas e enamoradas,
Se encontram, se entregam e se calam…
Onde a razão é flecha fatal e certeira
E os escudos de plásticos, pura ilusão,
Onde a realidade é do amor derradeira,
Dessas batalhas travadas na escuridão.


Caixas vedadas cheias de fragilidades,
De sentimentos duradouros ou fugazes.
Onde a vida se afasta das vulgaridades,
Dos incautos, nem containers são capazes.
Onde as cores, os aromas e os sabores, 
De amores se revestem e se propagam.
Se apresentam tão seguros e indolores!
Mas sem lenha, como o fogo, se apagam…












 
Ronaldo Aparecido Silva
Enviado por Ronaldo Aparecido Silva em 16/01/2018
Alterado em 16/01/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras